quarta-feira , 26 abril 2017

Mês das Noivas – 10 orientações para poupar para o casamento

Casar é bom, mas custa caro. Maio é considerado o Mês das Noivas e de acordo com o presidente da Associação Brasileira de Educadores Financeiros (Abefin), Reinaldo Domingos, é importante que o casal faça um bom orçamento, converse sobre as finanças e poupe para dar início a vida a dois sem dívidas.

“Diálogo e planejamento são as palavras-chave. Não há uma ‘fórmula perfeita’ para casar sem dívidas, pois cada casal tem seu tempo, seus desejos e deve agir de acordo com a sua situação financeira atual. Contudo, ter uma boa programação é imprescindível para evitar brigas por conta de gastos excessivos”, orienta Domingos.

Além das despesas da celebração, o casal assume a responsabilidade de gerir as finanças de um lar. Portanto, é preciso ter um bom planejamento, que garanta tranquilidade e segurança financeira para que possam seguir realizando sonhos ao longo da vida.

Confira 10 orientações para poupar para o casamento:

1- Façam pesquisas

No mercado de casamentos, os preços dos produtos e serviços variam muito – seja de acordo com a data da festa, a localização da cerimônia e da recepção, etc. Portanto, é imprescindível fazer boas pesquisas e consultar a idoneidade das empresas, evitando sofrer golpes ou pagar mais caro do que o necessário;

2- Definam as prioridades

Para muitos casais, fazer uma viagem de lua-de-mel inesquecível é mais importante do que uma grande festa, portanto é preciso priorizar essa despesa no orçamento. O casal deve colocar na balança o que realmente for prioridade, para não despender suas economias em itens que não consideram tão importantes;

3- Não esqueçam do lar

De acordo com o ditado popular, “quem casa quer casa”. Portanto, é preciso considerar a compra ou aluguel do imóvel uma prioridade, além, é claro, da mobília. Uma orientação é colocar grande parte dos itens necessários na casa na lista de presentes, para que os convidados possam ajudá-los nesta fase inicial da vida a dois;

4- Façam um orçamento

Considerando todas as despesas, façam um orçamento total e definam o quanto precisam guardar mensalmente para conquistar o sonho do casamento na data desejada. Caso o valor fique muito alto, pode ser necessário fazer cortes no orçamento ou adiar a data prevista para o casamento;

5- Reduzam gastos

Para poupar para o casamento, o casal precisa conhecer verdadeiramente os seus gastos. Portanto, façam individualmente um diagnóstico financeiro anotando todas as despesas durante 30 dias, separado por categoria (como alimentação, transporte, roupas, etc.) para analisar onde podem ser feitas economias; 

6- Busquem renda extra

Caso deseje levantar uma renda extra, o casal pode usar suas habilidades ou hobbies, como cozinhar, fotografar ou traduzir. Se preferirem seguir em sua área de atuação, os noivos podem oferecer serviços de consultoria, aulas ou freelances, por exemplo – sempre destinando os valores obtidos para a poupança do casamento;

7- Sonhem juntos

Incluindo o casamento, é importante que o casal tenha pelo menos três sonhos, tanto individuais quanto coletivos: um de curto prazo, a ser realizado em até um ano, outro de médio prazo, entre um e dez anos, e outro a longo prazo, a ser realizado daqui há dez anos. É válido poupar para todos ao mesmo tempo;

8- Inovem no orçamento

Coloquem em prática um orçamento financeiro que priorize os sonhos. Muitas pessoas aprenderam a fazer Ganhos (-) Gastos = Lucro/Prejuízo. O ideal é que não sobre nem falte, e sim que a poupança para os sonhos seja garantida mensalmente. Portanto, façam Ganhos (-) Sonhos (-) Gastos;

9- Façam pequenas economias

Para poupar dinheiro com mais facilidade, tenham maior atenção aos gastos cotidianos, procurem comprar produtos com bom custo-benefício e priorizar estabelecimentos que ofereçam descontos para pagamento à vista. Quando o sonho vem primeiro, o consumo desenfreado perde a força;

10- Invistam adequadamente

Para sonhos de curto prazo, o dinheiro pode ser aplicado em caderneta de poupança, pois ela é isenta de impostos. Para sonhos de médio prazo, CDBs e fundos de investimentos são os mais indicados. Já para sonhos de longo prazo, são indicadas a previdência privada e os títulos do tesouro. 

Fonte: DSOP Educação Financeira