terça-feira , 22 agosto 2017

Último mês para as inscrições do EDP Open Innovation 2017

Após premiar a brasileira Delfos no ano passado, a competição segue em busca de projetos inovadores para o setor de energia elétrica

 

São Paulo, 02 de agosto de 2017 – Os empreendedores de todo Brasil terão até o dia 23 de agosto para realizarem suas inscrições no EDP Open Innovation 2017. O concurso global, que no ano passado teve como vencedora uma equipe brasileira, está em busca de projetos inovadores que possam transformar o mercado de energia elétrica, e novamente a melhor startup será premiada com 50 mil euros.

 

Os interessados de qualquer localidade podem se inscrever por meio do site edpopeninnovation.edp.pt. Em seguida, os grupos serão avaliados por um júri formado por representantes da EDP e do Grupo Impresa, empresa de comunicação parceira da Companhia na edição deste ano. Os 15 melhores projetos serão levados para um programa de aceleração em Portugal, no qual terão a chance de desenvolver e testar a solidez e a viabilidade dos seus negócios.

 

Esta segunda fase ocorre durante o mês de outubro e será decisiva para que sejam escolhidas as três startups finalistas. As equipes terão, então, que apresentar suas soluções diante de um novo júri em um evento que acontece em 26 de outubro, em Lisboa, e no qual também será definida a Grande Vencedora. Além do prêmio em dinheiro, o EDP Open Innovation dará aos finalistas a oportunidade de apresentarem seus projetos no Web Summit, principal evento europeu de inovação.

 

“O Brasil já venceu a competição no ano passado e temos toda a confiança de que as equipes do País estão preparadas para propor excelentes projetos em 2017”, avalia a gestora executiva da área de Inovação da EDP, Lívia Brando.

 

Brasileiros vencedores

Vencedora do EDP Open Innovation em 2016, a startup brasileira Delfos Predictive Maintenance, de Fortaleza, surpreendeu os juízes por ter apresentado uma solução que prometia responder ao grande problema da energia eólica: como aumentar a produtividade e o ciclo de vida das turbinas sem aumentar os custos de operação e manutenção. Para isso, criaram um sistema que monitora, analisa e antecipa possíveis problemas nos equipamentos em tempo real.

 

Atualmente, a equipe colabora com a EDP Inovação e com a EDP Renováveis no desenvolvimento de um projeto piloto para testar em ambiente real a aplicação.

 

“O EDP Open Innovation nos concedeu um selo de qualidade e credibilidade que abriu muitas portas”, afirma Guilherme Studart, um dos sócios da Delfos. “O aprendizado do processo de aceleração e a oportunidade de interagir com um grande player com certeza foi essencial para ajustar a nossa proposta com a realidade do mercado”, completa.

 

Ecossistema de Inovação da EDP Brasil

Baseada em um entendimento da inovação como processo constante, a EDP Brasil desenvolveu um ecossistema de fomento de ideias e processos inovadores. Ela foi a pioneira do setor elétrico brasileiro na robotização de processos, com a implementação em janeiro deste ano de um sistema robótico.

 

O trabalho de identificação de projetos inovadores e potenciais parceiros é fundamental nessa empreitada de antecipar movimentações futuras. Destacam-se, portanto, o apoio e o investimento em startups. Além do Open Innovation, a empresa trouxe pela primeira vez ao Brasil o EDP Starter, iniciativa para auxiliar Startups em estágio inicial que proponham ideias inovadoras capazes de serem adaptadas para o setor elétrico.

 

Recentemente, a EDP também se juntou a outras sete utilities mundiais para organizar um dos maiores programas de aceleração de startups mundial: o Free Electrons Global Accelerator. O concurso recrutou projetos ligados à energia que serão importantes para a próxima geração de ideias em energia limpa, eficiência energética, mobilidade elétrica, digitalização e serviços de apoio ao cliente.

 

enviado por Thiago Moreno