sexta-feira , 15 dezembro 2017

Em pleno Outubro Rosa, boato sobre mamografia a R$ 10 em Vitória se espalha nas redes sociais

Endereço informado na falsa mensagem é de uma clínica de nutrição, que não realiza o exame, mas recebeu inúmeras ligações ao longo desta quinta-feira

Um boato espalhado nos últimos dias, pelas redes sociais dá conta de que uma clínica na Praia do Suá, em Vitória, estaria realizando exames de mamografia a apenas R$ 10. No entanto, o endereço informado na falsa mensagem é de uma clínica de nutrição, que não realiza esse tipo de exame.

O caso aconteceu justamente durante a campanha do Outubro Rosa, que visa conscientizar a população sobre a importância de se realizar exames de prevenção contra o câncer de mama. E a mamografia é justamente um dos principais meios de se diagnosticar a doença.

O boato causou um grande transtorno para a clínica de nutrição. A equipe de reportagem da TV Vitória/Record TV esteve no local, nesta quinta-feira (05), e constatou que o telefone do estabelecimento e até o da portaria do prédio não pararam de tocar.

“Está assim o dia todo, desde que nós chegamos aqui. Minha secretária já recebeu pessoas aqui, na recepção do prédio também. Vamos desligar o telefone e cancelar a agenda por hoje, para atender quem vier e esclarecer o que está acontecendo”, disse a nutricionista Damylle Bueno, responsável pela clínica.

A nutricionista conta que ficou sabendo da falsa mensagem na manhã desta quinta-feira, ao chegar ao consultório.

“Quando eu cheguei ao prédio, a portaria já me avisou que pessoas estavam chegando para procurar informação sobre mamografia no meu consultório, que tinham recebido essa mensagem em algum lugar, mas elas não souberam me dizer onde. Quando eu cheguei no consultório, minha secretária estava com aqueles olhos arregalados para me dar uma notícia que não era boa, que ela estava desde quando chegou ao consultório só atendendo o telefone celular e principalmente o fixo, porque haviam espalhado uma notícia no WhatsApp que aqui teria mamografia durante o mês de outubro a R$ 10”, contou Damylle Bueno.

Durante todo o dia, enquanto a secretária atendia o telefone fixo, a nutricionista permanecia com o consultório vazio, se dedicando às redes sociais, para tentar avisar ao máximo de pacientes sobre o boato. A agenda teve de ser cancelada e a nutricionista deixou de atender 18 pacientes nesta quinta-feira.

“É triste quando você vê que se trata de um grupo de pessoas carentes, porque ninguém aqui que tem um plano de saúde ou que já está sendo atendido no Sistema Único de Saúde está procurando. São pessoas carentes e que estão preocupadas com a saúde e que estão tentando, de alguma forma, conseguir esse exame”, frisou Damylle.

A nutricionista disse ainda que vai procurar a polícia. “Daqui a pouco eu estou me deslocando até a Delegacia de Crimes Virtuais para que eu possa registrar um boletim de ocorrência com relação a tudo isso que está acontecendo, para que, tanto eu quanto as pessoas, possam estar resguardadas. E aí vai partir deles [os policiais], se eles vão conseguir investigar de onde partiu isso ou não”, afirmou.

O advogado Augusto Silveira Luppi Goldner explica que casos assim devem ser denunciados na Delegacia de Crimes Eletrônicos, como fez a nutricionista. Segundo o advogado, quem criou a notícia falsa e quem a divulga podem ser processados.

“O autor dessas mensagens certamente será responsabilizado, no caso da polícia conseguir identificá-lo. Aí teria a responsabilidade cível, que seria ele ser compelido a pagar danos morais ou materiais, dependendo do caso concreto, e eventual responsabilidade criminal, que seria apurada numa ação penal. A pessoa que passou, imaginando que estava fazendo um bem, ajudando o próximo, dificilmente teria, no final das contas, uma responsabilidade apurada. Mas poderia responder sim. Qualquer pessoa que repassa poderia responder nas mesmas penas”, frisou Goldner.

A produção da TV Vitória/Record TV entrou em contato com a assessoria de comunicação da Polícia Civil, para saber se as investigações já começaram, mas até a noite desta quinta-feira, não havia recebido retorno.

 

Fonte: Folha Vitória