sexta-feira , 15 dezembro 2017

Cresce o número de doadores de órgãos no Brasil, no terceiro trimestre

O Brasil atingiu neste terceiro trimestre a meta de doação de órgãos proposta para o ano, de 16,5 doadores para cada milhão de habitantes. Segundo dados da ABTO (Associação Brasileira de Transplantes de Órgãos), o país registrou 16,6 doadores a cada um milhão de habitantes no terceiro trimestre, um aumento de 14,6% em relação ao mesmo período no ano passado.

Os estados que mais se destacaram foram Santa Catarina, com 38 doadores para cada milhão de habitantes, e o Paraná, com 37,7, e São Paulo, com 22,7. “O estado de Santa Catarina possui índices superiores ao de países desenvolvidos e isso se deve a um sistema de organização mais desenvolvido, já que eles não deixam de notificar os casos de morte cerebral e conseguem aproveitar melhor os potenciais doadores, devido a estrutura”, observa o cirurgião cardiovascular e integrante da Comissão de Remoção de Órgãos da ABTO, José Lima Oliveira Junior.

A pesquisa aponta ainda que houve um aumento na taxa de doadores para transplantes hepáticos (11%), pulmonar (10,1%) renais (7,1%) e cardíacos (3,6%). Entretanto, houve diminuição no número de transplante de pâncreas (queda de 5,9%).  “Mesmo com números positivos, a recusa familiar ainda é um entrave. Hoje no país 42% das famílias não autorizaram a doação de órgãos de seus parentes, por isso precisamos continuar com as campanhas e conscientizando as pessoas”, ressalta o cirurgião cardiovascular.

No Brasil, há 32.066 pessoas aguardando a doação de um órgão. O rim puxa a fila de espera com 20.595 pessoas, seguido por córnea com 9.355, fígado com 1.235, pâncreas e rim com 445, coração com 250 e pulmão com 158 pessoas.

50 anos do primeiro transplante de coração

No dia 3 de dezembro completaram-se 50 anos do primeiro transplante do gênero no mundo. A operação foi realizada, em 1967, por um médico sul-africano, Christiaan Barnard. O paciente transplantado viveu só 18 dias a mais.

Segundo dados da ABTO, no terceiro trimestre, o transplante cardíaco foi realizado em 13 estados e ultrapassou o número de 6 transplantes a cada milhão de habitantes, com destaque para o Distrito Federal (12,1) e Pernambuco (6,1).

 

Por Encaso Comunicação.