sexta-feira , 15 dezembro 2017

Ex-detento ganha oportunidade de ressocialização por meio da arte

Uma nova chance para que um detento recomece a vida após o cumprimento da pena não é fácil, mas é possível e depende da força de vontade de cada um. Em meio à tantas pessoas reclusas nas penitenciárias do Espírito Santo, muitos talentos artísticos estão escondidos e foi, justamente, a arte que abriu as portas de uma nova vida à um grafiteiro.

Viníciu Tornieri, 28 anos, ficou preso por quase sete anos. Na adolescência, ele frequentava os movimentos de arte de rua, como o Hip Hop, no qual aprendeu a arte do grafite. De acordo com ele, algum tempo depois, quando desistiu da arte, a vida não reservou boas surpresas. “Quando parei de frequentar esses eventos, fui para lugares que não deveria, o que acabou resultando na minha prisão”, conta. Foi como detento, já no final da pena, que o grafiteiro encontrou a oportunidade de ter uma nova vida. Em agosto deste ano, o Projeto “Além das Grades” necessitou de um serviço de grafite nas unidades da Defensoria Pública e Vinícius foi chamado, ainda recluso, para desenvolver a arte. “Me senti muito feliz, pois eles gostaram do meu trabalho”, disse Vinícius.

Na época, ele grafitou a parede do novo Núcleo da Defensoria Pública de Cachoeiro de Itapemirim. O último serviço realizado por ele, ainda em cumprimento de pena, foi a pintura da parede da sala da Defensoria no Tribunal de Justiça do Espírito Santo, na Enseada do Suá, em Vitória. Ele utilizou tinta spray para grafitar o símbolo da Defensoria Pública do Espírito Santo (DPES) de forma estilizada.

Vinícius reconquistou a liberdade no dia 29 de novembro, mas lembra que o período de reclusão não foi um momento fácil para a vida dele. “Foi difícil. Fiquei muitos anos recluso e não foi fácil. Acompanhei o sofrimento da minha mãe, porque a gente não sofre sozinho”, desabafa.

Na última segunda-feira (04), o grafiteiro teve a chance de voltar para o mercado de trabalho e foi contratado como auxiliar de serviços gerais da DPES. Graças aos trabalhos já realizados, Vinícius já recebe propostas para realizar serviços extras. “Eles [a Defensoria] estão divulgando o meu trabalho e, com isso, eu posso fazer outros por fora, nos finais de semana ou fora do meu horário”, relatou.

Para o futuro, Vinícius já faz planos de fazer cursos e ter uma melhor qualificação para o mercado de trabalho. “Quero fazer um curso técnico para me qualificar profissionalmente e conseguir um emprego melhor para pagar uma faculdade. Quero evoluir na pintura e, quem sabe, fazer uma faculdade de Artes Plásticas”, planeja.

Projeto Além das Grades

O Projeto Além das Grades é fruto de uma parceria entre a Defensoria Pública do Espírito Santo com a Secretaria de Estado da Justiça (Sejus). O projeto objetiva demonstrar que a Defensoria Pública tem um papel muito além do processo e da atuação na unidade prisional, principalmente dentro da execução penal. Nele, o órgão contrata presos, em regime semi-aberto, para a realização de diversos serviços.

Segundo a coordenadora de Execução Penal, Roberta Ferraz, o projeto dá oportunidade aos internos de garantirem experiência de trabalho antes de voltarem ao mercado. “Nós buscamos, com a nossa atuação, tentar trazer a pessoa que está cumprindo pena, aos poucos, pra sociedade”, explica Roberta.

 

Por Folha Vitória