sábado , 20 janeiro 2018

Emagrecer com saúde na 3ª idade: dieta exercícios ajudam até na prevenção de doenças

A alimentação saudável e a prática de exercícios trazem muitos benefícios para todas as idades, inclusive para os idosos. A dieta lowcarb, por exemplo, conhecida por jovens que buscam a boa forma, também pode ajudar na prevenção de doenças na 3ª idade.

Segundo a coach de emagrecimento Patrícia Oliveira, estudos mostram que a dieta baixa em carboidratos pode ajudar a reverter a perda da memória e outros sintomas do Alzheimer. “Um estudo realizado nos Estados Unidos mostrou que a dieta Low Carb foi capaz de reverter a perda da memória de 9 dos 10 participantes. Esse tipo de dieta, quando combinada com a prática de exercícios físicos e suplementos, também reverteu boa parte da doença nos pacientes, em poucos meses de programa”, explica.

A coach afirma ainda que a dieta Low Carb pode ajudar os idosos no controle da diabetes. “A dieta Low Carb possibilita que o idoso diabético tenha controle total sobre sua glicemia e consiga mantê-la em estado de equilíbrio junto ao metabolismo basal (que são os gastos energéticos diários) . O gasto de energia precisa ser suficiente para não acumular nem incentivar os picos de insulina no corpo gerados pela ingestão do carboidrato.

Patrícia afirma ainda que a dieta também atua como forma de prevenção da doença, já que evita os picos glicêmicos causados pelos carboidratos, evita que o organismo inflame e impede as células de ficarem resistentes à insulina. Isso não irá forçar o pâncreas a aumentar a produção de insulina. “Com a Low Carb, o corpo se mantém saudável, utilizando a gordura como sua forma de energia”, destaca.

De acordo com a coach de emagrecimento Cibelly Camena, o idoso precisa conhecer seu condicionamento físico. “O autoconhecimento de seu corpo dará “poder” para ir mais além nos exercícios . Ninguém melhor que ele para entender a dinâmica que seu corpo responde aos estímulos físicos dado pelo instrutor”.

Porém, Cibelly alerta que cada idoso tem um nível de condicionamento e isso deve ser levado em conta, por isso é bom sempre ter uma instrução de um profissional da área. “É importante que ele faça atividade “anaróbica”, ou seja, com pouca ingestão de oxigênio, como a musculação. Uma frequência de três vezes na semana, com 20 minutos de duração. Importante lembrar ainda que o alongamento bem feito é a chave para o sucesso do exercício, e no caso de idosos, isso é muito mais importante pela perca de massa muscular que vem com a idade.  É importante lembrar também que um idoso mais ativo tem menos riscos de doenças do sistema nervoso central”, finaliza.

Por ESHOJE.