sábado , 24 fevereiro 2018

MPF/ES denuncia ex-presidente da Desportiva e mais sete por tráfico internacional de 253kg de cocaína

O Ministério Público Federal no Espírito Santo (MPF/ES) denunciou o ex-presidente da Desportiva Ferroviária Edney José da Costa e mais sete pessoas por tráfico internacional de drogas e associação para o tráfico. Costa e seis dos denunciados foram presos no dia 6 de dezembro de 2017 com 253 quilos de cocaína dentro de um contêiner com carga de milho em um galpão em Vila Velha, que seria enviado para Portugal.

Entre os denunciados está Elio Rodrigues, que recentemente foi condenado pela Justiça Federal em primeira instância por participação no caso do helicóptero apreendido com 445 quilos de cocaína, em 2013, numa fazenda no Espírito Santo. Os outros denunciados são Elias Diniz de Santanna da Silva; Wagner da Silva Fernandes; Jincley Caetano; João Manoel Bino; Aniederson Alexandrino Vieira do Carmo; e Bruno Colombo de Lima (único que não está preso, responsável por fazer a programação para envio do contêiner).

De acordo com as investigações, os denunciados receberam, guardaram, mantiveram em depósito 253 quilos de cocaína, que inseriram em um contêiner carregado com milho, com a violação de seu lacre e substituição por um falsificado, para transportá-lo e exportá-lo para Portugal por via marítima, sem autorização legal.

O grupo utilizou um galpão em Rio Marinho, Vila Velha, para fazer a camuflagem da droga dentro do contêiner. Todos, com exceção de Bruno Lima, foram presos em flagrante quando saíam do galpão pela Polícia Federal.

O financiador da droga ainda não foi identificado, mas utilizou uma linha do Paraguai para comandar a atuação da quadrilha. Ele teria vindo ao Espírito Santo e se reunido com outro homem, também não identificado, de origem portuguesa, integrante do mesmo grupo criminoso. Inclusive, no dia em que sete dos denunciados foram presos, ele tentou contato com Edney Costa por telefone.

Além da condenação dos denunciados por tráfico internacional de drogas, o MPF/ES quer que eles sejam condenados por associação para o tráfico e que todos os bens apreendidos sejam confiscados e perdidos em favor da União. Entre os bens confiscados estão cerca de R$ 37 mil, uma caminhonete S10, uma caminhonete Chev Tracker, um automóvel GM Tracker, um caminhão Scania e um reboque.

A denúncia, assinada pelo procurador da República Carlos Vinicius Cabeleira, foi protocolada na Justiça Federal (www.jfes.jus.br) com o número 0502151-23.2017.4.02.5001.

Fonte: Rhuana Ribeiro
             Assessoria de Comunicação Social
Ministério Público Federal no Espírito Santo