sexta-feira , 15 dezembro 2017

Estado vai investir US$ 70 milhões em segurança pública até 2022

O Estado vai investir US$ 70 milhões em segurança pública nos próximos cinco anos, anunciou o Governo na tarde desta quinta-feira (30). O recurso é fruto de uma parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), e foi aprovado pelo Senado Federal. Serão investimentos no Instituto de Atendimento Socioeducativo do Espírito Santo (Iases) e também nas Policia Militar e Civil.

O secretário estadual de direitos humanos, Júlio Pompeu, explicou que desse total, $ 56 bi são do BID; e 25% do Tesouro Estadual. O dinheiro ficou dividido da seguinte forma: 25% serão destinados ao programa Ocupação Social; 49.8% para modernização do sistema socioeducativo; e 0,3% para a gestão do Governo. O Estado tentava esse recurso desde 2014.

“Essa negociação foi feita a partir de pesquisas de dados técnicos sobre a violência no Estado e que tipos de ações podem gerar um grande impacto. Para se ter uma ideia, o BID calculou que a nossa proposta de aplicação de recursos, para cada dólar investido, dois dólares e meio são economizados tanto em recursos públicos tanto de privados em decorrência da redução da violência”.

Segundo o secretário, o Instituto de Atendimento Socioeducativo do Espírito Santo (Iases) vai ganhar 15 novas casas de semi-liberdade. Atualmente são apenas 35 para esse fim e 800 vagas para internação. “A socioeducação é nosso auxiliar nos municípios para executar medidas de meio aberto, criarmos mais casas de semiliberdade para os jovens e melhorar qualitativamente as estruturas das nossas internações. Isso é muito importante porque temos um desequilibro de vagas hoje. Queremos harmonizar o sistema”.

Na Polícia Civil a ideia é investir construir um Centro Integrado Técnico-Científico e também uma plataforma que virtualizar dados dos inquéritos policiais na delegacia online.

O Coronel da Policia Militar (PM) Nylton Rodrigues, informou que a corporação vai ganhar 102 novas viaturas; 102 caminhonetes para a Força Tática e para a Companhia Independente de Missões Especiais; 222 motocicletas de 300 cilindradas; 16 postos móveis (tipo furgão); e 225 rádios portáteis.

“É um investimento muito importante para a nossa instituição. Nos temos um plano de trabalho. As viaturas vão atuar nas áreas com maiores indicadores criminais. As bases móveis comunitárias são veículos grandes, do tipo furgão, para que a gente possa fixar essa viatura com o efetivo militar nessas áreas. A polícia militar vai avançar na sua logística para prestar um melhor serviço à sociedade”.

A expectativa é que esse recurso chegue ao Estado até o fim dezembro. O Coronel Nylton disse que depende da chegada do dinheiro para só então falar em prazos para que os novos equipamentos comecem a ser adquiridos.

Por ESHOJE.