sexta-feira , 15 dezembro 2017

‘Em casa’, brasileira busca tricampeonato mundial de kitesurf e marca histórica no esporte

Um dos grandes sonhos de todos os atletas é o de alcançar o lugar mais alto do pódio em seu esporte. E se for dentro de casa, isso se torna ainda mais especial. Essa sensação pode ser vivida pela paulista Bruna Kajiya na disputa do Superkite Brasil, a última etapa do Mundial de Kitesurf. A partir desta terça-feira (5), os melhores kitesurfistas do mundo encaram os ventos fortes e as águas mornas da praia de Cumbuco (CE), um dos paraísos brasileiros, em busca do título da competição.

Com 3.000 pontos, Bruna lidera a categoria feminina, seguida por Annabel van Westerop, de Aruba, com 2.520 pontos, e pela italiana Francesca Bagnoli, com 2.390. Para ficar com o título, a brasileira precisa terminar entre as oito melhores competidoras. De olho no tricampeonato, a kitesurfista destaca o apoio da torcida nesta última etapa.

– Tem um sabor especial disputar a final aqui. Pra mim, competir no meu País sempre foi um sonho. Há anos que a gente não tem uma etapa do Mundial. E é superespecial poder defender este título dentro de casa e trazer o título mundial para o Brasil, no Brasil. Não tem coisa melhor. Eu tenho muitos amigos por aqui em Cumbuco e me sinto muito em casa. Então, eu sei que vou ter uma torcida muito grande – comenta Kajiya.

Nos últimos dias, Bruna repassou todas as manobras que pretende realizar na bateria, além de tentar algumas novas. Empolgada, a brasileira mantém os pés na areia devido ao alto nível das suas adversárias. Enquanto Annabel presa para constância, a italiana Francesca aproveita para dar mais potência nas suas manobras.

Caso conquiste o tricampeonato mundial após as cinco etapas do ano (França, Holanda, Turquia, Egito e Brasil), Bruna se tornará a segunda maior vencedora isolada na história da competição. Atualmente, está empatada com Cindy Mosey (2002 e 2003), Kristin Boese (2005 e 2006) e Karolina Winkowska (2012 e 2014), ficando atrás somente da lenda e hexacampeã Gisela Pulido (2007, 08, 10, 11, 13 e 15).

– Eu fico super-honrada em fazer algo tão grande, tão bonito, dentro do esporte que eu amo tanto. Minha vida é isso. Então, para mim é uma honra poder fazer parte da história do meu esporte – completa.

Na categoria masculina, o Brasil tem grandes chances de fazer a dobradinha. Carlos ‘Bebê’ Mário é o líder, com 2.538 pontos. Atrás, aparecem o espanhol Liam Whaley (2.368) e o também brasileiro Set Teixeira (2.078).

O Superkite Brasil, última etapa do Mundial de Kitesurf, acontecerá de 5 a 10 de dezembro, na praia de Cumbuco (CE), localizada a 40 km de distância da capital Fortaleza. Além da adrenalina da competição, o público terá atividades socioculturais à disposição.

 

Por Reb Bull Content Pool